• Kelly Rossi

Os Quatro Grandes - resenha

Atualizado: Set 9


Autora - Agatha Christie

Tradução – Luisa Geisler

Editora - Harper Collins

Gênero - Romance Policial

Páginas - 206

Ano - 2020

ISBN - 9788595085916

Classificação - ⭐⭐⭐⭐⭐💖

Sinopse – “Um homem invade o apartamento de Hercule Poirot em circunstâncias suspeitas. Quem é ele?

Está sofrendo de choque ou há algo mais grave acontecendo? Acima de tudo, o que significa o papel que carrega, em que o número quatro foi escrito várias e várias vezes? De repente, Poirot se vê submerso em um mundo de intrigas, arriscando a vida para descobrir a verdade sobre uma organização criminosa internacional.”


ESPIONAGEM, INTRIGAS INTERNACIONAIS E UMA LINDA RELAÇÃO DE AMIZADE é o que você vai encontrar nessa trama repleta de ação.

Em “Os Quatro Grandes” temos o reencontro da dupla mais perfeita desse mundo, Poirot e Hastings (sério, gente! Eu amo esses dois juntos).

🕵“Que maravilhoso é meu amigo Hastings! Ele sabe de tudo, com exceção de tudo!” 😆

Publicado primeiramente, em 12 partes separadas, pela revista Sketch em 1924, “Os Quatro Grandes” só virou livro em janeiro de 1927. Agatha passava por um período difícil de sua vida, no qual tinha perdido a mãe e enfrentava a separação do primeiro marido, Archibald Christie. Como ela precisava ganhar dinheiro, seu cunhado sugeriu a junção das partes publicadas anteriormente pela revista e contribuiu com o processo de revisão.

Essa foi a oitava leitura realizada pelo clube #lendorainhaChristie e minha favorita até

agora. A Agatha trouxe muitos elementos históricos e personalidades importantes para a narrativa. Fica evidente que, por ter sido escrita no entreguerras, a obra transparece o medo de conspirações e preocupações com ameaças externas que existia naquela época.

Diferente das obras anteriores e sem o elemento “who done it” que consagrou a autora, encontramos nesse livro muita ação para desmascarar uma organização criminosa mundial formada por quatro figuras importantíssimas para o contexto da época.

Poirot não conseguiu ficar sentado em seu escritório apenas usando suas pequenas células cinzentas. Ele precisou agir, viajar para vários países, escapar de várias armadilhas e, no caminho, desvendar quatro casos intrigantes. Tudo isso, com seu fiel amigo, Hastings, que brilhou lindamente nesse livro. Muito astuto e corajoso! Fiquei extremamente orgulhosa com as decisões que ele tomou ao longo da trama.

Outro aspecto que me agradou profundamente foi a representatividade feminina, explorada com a presença de uma cientista brilhante como uma das cabeças da organização criminosa. A referência para a criação dessa personagem é incrível: nada menos que a francesa Marie Curie, pioneira nos estudos da radioatividade e ganhadora do Nobel de Física e de Química.

Tudo o que o Poirot e o Hastings fizeram um para o outro foi fabuloso e muito significativo. Eu amei demais essa leitura e amei ainda mais ver a empolgação nos olhinhos dos participantes do clube.

🕵“Não gosta que eu o abrace ou demonstre emoções, sei bem disso. Serei extremamente britânico. Não direi nada... nada do tipo. Apenas que... que, em nossa última aventura, as honras são todas suas, e feliz é o homem que, como eu, tem um amigo feito você!”


Agatha Rainha, não é mesmo? Se você ainda não leu, leia. É maravilhoso demais!

Beijos, um ótimo voo a todos e até a próxima! 📚💕

4 visualizações

© 2020 Voando com Livros • Todos os direitos reservados • Desenvolvido por Nicolas M Barboza