• Kelly Rossi

Ciranda de Pedra - resenha


Autora - Lygia Fagundes Telles

Nacionalidade - Brasileira

Editora - Companhia das Letras

Gênero - Romance

Páginas - 224

Ano - 2009

ISBN - 9788535915389

Classificação - ⭐⭐⭐⭐⭐❤


Sinopse - "Natércio amava Laura que amava Daniel. Virgínia amava Conrado que amava Otávia. Letícia amava Afonso que amava Bruna, que amava a Deus sobre todas as coisas. Nessa ciranda de sentimentos, cada um guarda seus segredos, anseios e frustrações, em especial a menina Virgínia, de cujo ponto de vista a história é narrada. Sob a superfície da normalidade, uma família de classe média é abalada em seus alicerces pela loucura, pela paixão e pela morte.

Ciranda de Pedra, um dos pontos altos da obra de Lygia Fagundes Telles, é um originalíssimo romance de formação, acolhido com entusiasmo pela crítica e pelo público desde que surgiu, em 1954. Para Carlos Drummond de Andrade, trata-se de "um livro perturbador, que nos prende e nos assusta, que nos faz sofrer e ao mesmo tempo nos oferece o remédio compensador da arte".

Atestando a enorme popularidade do romance junto aos leitores, a televisão o adaptou duas vezes, em 1981 e em 2008, ambas com grande sucesso."


🌿 "Um livro que me ensinou a liberdade de escrever. Não me detive em qualquer limite nas personagens, na temática. É um livro corajoso para a época, tem como protagonista uma lésbica, um impotente, e todo tipo de relacionamente dificílimo. Não hesitei diante de nenhum personagem. Foi considerado escandaloso." Esse é um trecho da entrevista da Lygia para o jornal O Globo de 4 de janeiro de 1998.


Palavras lindas da Lygia sobre o livro Ciranda de Pedra! Quando terminei a leitura, percebi que essa obra é daquelas que só cresce toda vez que paramos para pensar nela. Coragem, ousadia... são palavras que se encaixam, mas para mim, a palavra perfeita para essa escrita é: revolucionária. 💘


🌿 "POR QUE ISSO DA GENTE SER SÓ UMA COISA OU OUTRA? FICA MONÓTONO E COMPLICADO. BOM É A GENTE NÃO QUERER SER NEM ANJO NEM DIABO, É IR SENDO O QUE NA HORA CALHAR..."


Eu já conhecia os contos da autora. Já era apaixonada por sua escrita, sua construção narrativa e seu respeito para com os leitores. Ciranda de Pedra foi o primeiro romance da Lygia, e também o primeiro que eu li, depois dessa leitura, ela conquistou um lugar bem especial no meu coração, do ladinho da Clarice Lispector que é outra autora que amo de paixão.


🌿 "JÁ QUE É PRECISO ACEITAR A VIDA, QUE SEJA ENTÃO CORAJOSAMENTE."


Ciranda de Pedra é dividida em duas partes. Virgínia, a protagonista, é uma criança na primeira parte, fazendo a narrativa percorrer uma perspectiva infantil. A família já começa fragmentada. Com os pais separados, Virgínia foi morar com sua mãe e seu padrasto, enquanto suas duas irmãs mais velhas, ficaram morando com o pai. Aqui, a Lygia já apresenta um problema social, pois a história se passa na década de 50 e o divórcio ainda não era uma possibilidade, ou seja, a mulher que separava ficava estigmatizada. Podemos observar com clareza a sociedade machista e patriarcal que é retratada no livro.


🌿 "HÁ MILÊNIOS QUE OS PAIS SE DEBRUÇAM COMO FADAS SOBRE OS BERÇOS E FAZEM PROFECIAS FABULOSAS. E HÁ MILÊNIOS A TERRA PROSSEGUE CORROÍDA PELO GERME HUMANO, QUE É TÃO VULGAR E MEDÍOCRE QUANTO O DA GERAÇÃO ANTERIOR."


Na segunda parte, vários anos se passam e Virgínia já é uma jovem adulta. Porém, suas mágoas são profundas. Seu maior sofrimento é a rejeição. Ela não só sente falta do afeto romântico, como sente falta do amor familiar também. Sua privação de carinho desde a infância foi brutal, acredito que por isso ela está em constante busca por aceitação. Ela tenta fazer parte de uma ciranda, mas, infelizmente ou felizmente (depende da interpretação de cada um), essa ciranda é de pedra.

🌿 "AMAR A PESSOA ERRADA NÃO É DAS MELHORES COISAS QUE NOS PODEM ACONTECER E ACONTECE COM TANTA FREQUÊNCIA. DANTE SE ESQUECEU DESSE CÍRCULO NO SEU INFERNO, O DOS REJEITADOS."


Todos os personagens desenvolvidos nessa história são absurdamente reais, são factíveis e humanos ao extremo. Nós como leitores, enxergamos seus pensamentos e atitudes com uma lente diferente daquelas que conseguimos ver as pessoas que convivemos, ainda bem não é mesmo?!😆 É difícil não julgar, eu tentei praticar esse exercício, tentei me colocar no lugar de cada personagem. Algumas leituras nos possibilita trabalhar a empatia, e esse é um deles, não que a gente vá conseguir em todos os momentos. Em várias passagens, precisei respirar fundo, em outras, simplesmente nem respirei, mas tenho certeza que foi um livro que me mudou como pessoa e como leitora.


🌿 "NÃO HÁ GENTE COMPLETAMENTE BOA NEM GENTE COMPLETAMENTE MÁ, ESTÁ TUDO MISTURADO E A SEPARAÇÃO É IMPOSSÍVEL."


Eu amo como a Lygia não subestima a capacidade do leitor e faz cada um ir atrás das evidências dentro da própria história para compôr o todo. Ela usa o próprio enredo para explicar e não o narrador, então o leitor vai juntando as peças. Não é difícil, apenas diferente, pois ela entrega aos pouquinhos, muitas vezes através de cenas riquíssimas, imagéticas, quase palpáveis... Eu também fico fascinada com as relações que ela faz de algumas personagens com insetos/animais. Os simbologismos que a Lygia usa em suas histórias sempre me enchem os olhos. E tenho certeza que a cada releitura é possível descobrir novos significados. Vou deixar aqui algumas relações que eu fiz durante a leitura, não vou explicar cada uma, porque seria spoiler, mas quando estiverem lendo, tentem perceber a mensagem que tem por trás. Eu acho isso tão lindo na literatura. Caso você tenha encontrado outras, fique à vontade para comentar.


  • Virgínia - formiga (primeira parte)

  • Virgínia - pássaro (segunda parte)

  • Natércio - besouro

  • Vaga-lume - Daniel

  • Borboleta - Otávia

  • Mariposa - Laura


🌿 "NASCEMOS TODOS OS DIAS QUANDO NASCE O SOL."


Conforme fui lendo, fiquei imaginando o choque que foi para a sociedade da época ler várias partes desse livro. Isso só me enche de orgulho, saber que a Lygia não polpou as críticas e ainda abordou diversos tabus, tais como: suicídio, morte, luto, adultério, separação, orfandade, homossexualidade, bissexualidade, assexualidade, impotência, vingança, racismo, fanatísmo religioso, exclusão social, alienação parental, entre outros. Tudo isso só me faz ter a certeza de querer ler todas as suas obras.


🌿 "É PRECISO AMAR O INÚTIL. CRIAR POMBOS SEM PENSAR EM COMÊ-LOS, PLANTAR ROSEIRAS SEM PENSAR EM COLHER AS ROSAS, ESCREVER SEM PENSAR EM PUBLICAR, FAZER COISAS ASSIM, SEM ESPERAR NADA EM TROCA. A DISTÂNCIA MAIS CURTA ENTRE DOIS PONTOS PODE SER A LINHA RETA, MAS É NOS CAMINHOS CURVOS QUE SE ENCONTRAM AS MELHORES COISAS."



Já leu esse livro? Conhece a escrita da Lygia? Se você ainda não conhece, por favor, faça esse bem para você mesmo!



Beijos, um ótimo voo a todos e até a próxima!❤📚



Colabore com o blog: apoia.se/voandocomlivros






O livro está disponível nas melhores livrarias! Você também pode comprar sem sair de casa clicando na imagem ao lado. Comprando por esse link, você ajuda o blog sem pagar nada a mais por isso.


14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo