• Kelly Rossi

Carrie, a estranha - resenha


Autor - Stephen King

Tradução - Adalgisa Campos da Silva

Editora - Suma de Letras

Gênero - Thriller

Páginas - 200

Ano - 2013

ISBN - 978-8581050362

Classificação - 4,5⭐



Sinopse - "Carrie é uma adolescente tímida e solitária. Aos 16 anos, é completamente dominada pela mãe, uma fanática religiosa que reprime todas as vontades e descobertas normais aos jovens de sua idade. Para Carrie, tudo é pecado. Viver é enfrentar todo dia o terrível peso da culpa. Para os colegas de escola, e até para os professores, Carrie é uma garota estranha, incapaz de conviver com os outros. Cada vez mais isolada, ela sofre com o sarcasmo e o deboche dos colegas. No entanto, há um segredo por trás de sua aparência frágil: Carrie tem poderes sobrenaturais, é capaz de mover objetos com a mente. No dia de sua formatura, Carrie é surpreendida pelo convite de Tommy para a festa - algo que lhe dá a chance de se enxergar de outra forma pela primeira vez. O ato de crueldade que acontece naquele salão, porém, dá início a uma reviravolta cheia de terror e destruição. Chegou a hora do acerto de contas. Carrie, a estranha é um dos maiores clássicos de terror da literatura contemporânea e um dos livros mais aclamados de Stephen King."


Esse foi o primeiro livro publicado pelo reizinho King e teve como base os fantasmas de duas adolescentes que ele conheceu em sua juventude. Uma delas, Sandy, era sua vizinha e a outra, Tina, sua colega de escola. As duas se fundiram dando origem à Carrie, mostrando o que poderia acontecer se juntássemos o Bullying e a energia telecinética em uma mesma realidade. Uma história capaz de apavorar e causar calafrios e, apesar de ter sido escrita em 1974, é extremamente atual.

Considerado um clássico de terror contemporâneo, o livro conta a história de Carietta White – mais conhecida como Carrie - que perdeu o pai antes mesmo de nascer e foi criada por sua mãe, Margaret White. Carrie não era uma criança normal, pois desde seus 3 aninhos coisas estranhas aconteciam ao seu redor. O que ninguém sabia era que ela tinha o dom da telecinesia, ou seja, conseguia mover objetos com a mente.

O fanatismo religioso da Sra. White reprimiu o dom sobrenatural que Carrie carregava. Além de viver infeliz e amedrontada em sua própria casa, Carrie também sofria bullying de seus colegas na escola. Isolada e considerada estranha por todos, nossa protagonista tentava levar uma vida invisível, até que um convite para o baile de formatura da escola mudou todo o cenário. Conseguindo controlar seus poderes, Carrie resolveu encarar o desafio de frente, o que levou a um desfecho estarrecedor...

É impossível ler esse livro e não ficar imaginando o que seria do mundo se todos que sofressem bullying tivessem o poder da telecinesia. Até hoje essa história choca as pessoas! Acredito que por isso várias adaptações foram lançadas, incluindo um longa em 1976, um musical da Broadway em 1988, uma sequência de longas em 1999, um filme de televisão em 2002, uma peça off-Broadway em 2012 e um longa em 2013.

Eu assisti as adaptações de 1976 e de 2002. As duas são impressionantes, apesar de não superarem o livro, até por serem artes diferentes. Eu gostei muito da adaptação de 1976 e confesso que algumas cenas me deixaram aterrorizada! ⠀



E você? Já leu “Carrie, a estranha” ou assistiu alguma de suas adaptações? Qual livro do King é seu preferido?

Beijos, um ótimo voo a todos e até a próxima! 💖📚



Colabore com o blog! apoia.se/voandocomlivros

22 visualizações1 comentário

© 2020 Voando com Livros • Todos os direitos reservados • Desenvolvido por Nicolas M Barboza