top of page
  • Foto do escritorKelly Rossi

Uma Dose Mortal - resenha


Título Originial - One, Two, Buckle My Shoe

Autora - Agatha Christie

Tradução - Alessandro Zir

Editora - L&PM Editores

Gênero - Romance Policial

Páginas - 224

ISBN - 9788525421029

Classificação - 3,5⭐


Sinopse - "Hercule Poirot também tem medo da cadeira do dentista. Depois de algumas obturações, é com alívio que ele deixa o consultório do habilidoso dr. Morley. Para a surpresa de todos, em seguida o dentista é encontrado morto. Teria sido suicídio ou um assassinato premeditado? Ao investigar o caso, Poirot se depara com o desaparecimento de uma das pacientes do dr. Morley - a misteriosa Srta. Sainsbury Seale. O detetive se vê então envolvido com um tumultuoso conflito de ideologias que abala a estabilidade da Inglaterra na sinistra atmosfera de desconfiança do início da Segunda Guerra Mundial."


🦷 "Estou preocupado com a vida dos indivíduos. Cada um deles tem o direito de que a vida não lhe seja tirada."


"Uma Dose Mortal" nos entrega um Hercule Poirot mais humano, afinal, as pessoas têm medo. Alguns de escuro, outros de assalto, ou medo de avião, da morte... são infinitos os medos. Nosso famoso detetive belga, Poirot, tem medo de dentista. E é com esse medo anuviando os pensamentos de nosso protagonista costumeiramente tão centrado que iniciamos essa leitura.


Depois de algumas risadas, o enredo nos oferece a primeira morte, uma suspeita de suicídio, que acontece nesse mesmo consultório odontológico que expôs o desasossego de nosso herói.


Desconfiado que o acontecimento tenha sido na verdade um assassinato premeditado, Poirot parte para as investigações. Pelo caminho, o detetive se depara com outros crimes e até um desaparecimento.


Agatha Christie costumava ter mil ideias ao mesmo tempo e as organizava como anotações em seus cadernos. A ideia para esse livro surgiu quando ela ainda escrevia "Os Crimes ABC" e anotou brevemente: "homem sem pernas - às vezes alto, às vezes baixo. Idem - com dentes projetados e descoloridos, ou brancos e planos". Para nós, meros mortais, essa anotação beira ao incompreensível, mas era assim que ela trabalhava. E foi assim, que em alguns anos mais tarde ela começou a desenvolver suas "ideias de dentintas", fez pesquisa de campo visitando dentistas e foi elaborando melhor os pensamentos até sua criação final: "Uma Dose Mortal".


Outro ponto importante, que devemos atentar para uma melhor compreensão daquilo que a autora queria transmitir, é o contexto histórico em que o livro foi escrito. Era início da Segunda Guerra Mundial, algo que a autora tanto temia depois de ter vivido as barbáries da Primeira Grande Guerra. Viver outro horror com um medo diário de uma invasão alemã, faz com que seu personagem mais famoso reflita sua melancolia.


Ela lutou contra essa tristeza em que viveu, tentou deixar a história mais leve e divertida, mas está lá, o leitor não precisa ser tão atento para sentir o tom glacial se apoderando da história, e quando você sabe o porquê, aperta o coração.


Apesar de não ter entrado na lista de melhores leituras que fiz da autora, é com certeza um livro que me marcou e me aproximou ainda mais do mundo em que ela viveu.


Não recomendo como primeiro contato com a Christie, mas se você já conhece outras obras dela, só se joga. E uma dica: anota os nomes das personagens em um caderninho, porque ela foi bem criativa e não polpou ninguém da quantidade. 😄


🦷 "O Mundo é de vocês. Um novo céu e uma nova terra. Peço apenas que reservem, nesse novo mundo de vocês, um espaço para a liberdade e para a piedade..."


Beijos, um ótimo voo a todos e até a próxima! 📚



Colabore com o blog! apoia.se/voandocomlivros



O livro está disponível nas melhores livrarias! Você também pode comprar sem sair de casa clicando na imagem abaixo.





10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page