• Kelly Rossi

As Mil Noites - Resenha

Atualizado: Fev 26


Título - As Mil Noites Autora - E. K. Johnston Tradução - Viviane Diniz Editora - Intrínseca Gênero - Fantasia Páginas - 320 Local - Rio de Janeiro, 2016 ISBN - 978-85-8057-981-9 Classificação - 3,5⭐








Sinopse


"A nuvem de areia no horizonte anuncia que o rei Lo-Melkhiin e sua guarda estão a caminho, e ela sabe que ele desejará a garota mais bela: sua irmã. Desesperada para salvar a irmã da morte certa, ela decide fazer tudo o que está ao seu alcance para impedí-lo.

Levada para o palácio, ela acredita que a morte está à espreita. A corte de Lo-Melkhiin é um lugar perigoso e cheio de beleza: intrincadas estátuas com olhos assombrados habitam os jardins, e fios da mais fina seda são usados para tecer vestidos elegantes. Ela olha para tudo como se fosse a última vez. Porém, uma estranha magia parece fluir entre a garota e o rei, e noite após noite Lo-Melkhiin vai até seu quarto para ouvir suas histórias; e dia após dia ela continua viva.

Seu poder está nas histórias que conta, e suas palavras parecem ganhar vida própria. Coisas pequenas, a princípio: um vestido de seu lar, uma visão da irmã E à medida que ela sonha, uma magia muito mais terrível ganha força, uma magia poderosa o suficiente para salvar um rei..."


Esse livro de fantasia é uma adaptação do original “As mil e uma noites” e apresenta uma história de magia, crenças e um amor entre irmãs que supera tudo.


A leitura é fácil e prazerosa. É ideal para passar o tempo e conhecer um pouquinho da cultura árabe.


A parte fantástica do livro acontece aos poucos. É interessante acompanhar a protagonista ganhando poderes. A história do personagem Lo-Melkhiin também é apresentada em pequenas doses e assim vamos descobrindo o porquê ele já havia matado 300 garotas.


"Bons homens sucumbem a monstros todos os dias. Homens inteligentes se deixam enganar por seu próprio orgulho ou por belas palavras."

Um ponto atípico do livro é a falta de nome dos personagens. Só ficamos sabendo o nome do Rei, Lo-Melkhiin, mas os outros personagens mais importantes são todos tratados por seu grau de parentesco: minha irmã, a mãe da minha irmã, o pai do pai do meu pai e assim por diante. Falando em "pai do pai do meu pai" não tem como não lembrar da Jaque do Instagram @starlivros 😅


Os acontecimentos finais foram apresentados de forma bem rápida. Sabe quando você acha que vai começar a acontecer e de repente já acabou? Então… foi assim hahaha…


Uma mensagem que me marcou muito na história é relacionada aos deuses. Qualquer pessoa que já fez algo grandioso pode ser considerada um "deus menor". Os deuses menores do livro ganham poderes para ajudarem outras pessoas. É genial! Isso me fez refletir: alguém que eu conheço já fez algo grandioso? E eu? E você aí, já pensou nisso?


É lindo como o amor também é considerado um poder mágico. E afinal, ele não é?


"Eu experimentara o poder e o consumira até o fim, mas agora eu teria mais, de outro tipo."


Agora é sua vez! Já leram ou gostariam de ler esse livro?


Se você já leu, lembra da passagem na qual a personagem principal tinha as mãos e o corpo pintados? Eae, será que estou protegida? haha...



Beijos, um ótimo voo a todos e até a próxima!💖📚



Colabore com o blog! apoia.se/voandocomlivros

2 visualizações

© 2020 Voando com Livros • Todos os direitos reservados • Desenvolvido por Nicolas M Barboza