Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2019

O Cemitério - Resenha

Imagem
Título - O Cemitério
Autor - Stephen King
Tradutor - Mário Molina
Editora - Suma de Letras
Gênero - Thriller
Páginas - 424
Local - Rio de Janeiro, 2013
ISBN - 978-858105-039-3
Classificação - 4,5⭐


Sinopse - "Louis Creed, um jovem médico de Chicago, acredita que encontrou seu lugar em uma pequena cidade do Maine. A boa casa, o trabalho na universidade e a felicidade da esposa e dos filhos lhe trazem a certeza de que fez a melhor escolha. Num dos primeiros passeios pela região, conhece um cemitério no bosque próximo à sua casa. Ali, gerações de crianças enterraram seus animais de estimação. Mas, para além dos pequenos túmulos, há um outro cemitério. Uma terra maligna que atrai pessoas com promessas sedutoras. Um universo dominado por forças estranhas capazes de tornar real o que sempre pareceu impossível. A princípio, Louis Creed se diverte com as histórias fantasmagóricas do vizinho, Crandall. No entanto, quando o gato de sua filha Ellie morre atropelado e, subitamente, retorna à vida, ele p…

Canções de Aretaeus - Resenha

Imagem
Título - Canções de Aretaeus
Autor - Agmar Raimundo
Editora - Viseu
Páginas - 226
Ano - 2018
ASIN - B07D38YHV6
Classificação - ⭐⭐⭐⭐

Sinopse - "Canções de Aretaeus é uma obra dividida em duas partes ou dois lados, procura entender um pouco da genealogia humana e a matriz da Sociedade. Através do amor, do sexo, da bebida, com alguns elementos góticos, outros contemporâneos, o próprio autor diz que seus textos são como surtos psicóticos. Tenta mostrar ao leitor vivências baseadas na verdade e na liberdade. Na segunda parte do livro, muda-se o tipo de linguagem, pois seu escopo é a sociedade e sua matriz. Surgirão temas ligados à discriminação, política, sociedade e questões mundiais. Aqui, desaparece por completo o assunto Liberdade e o papel burocrático e falido da sociedade ganha força de discussão. Como num disco de vinil, Canções de Aretaeus, tenta reproduzir para o mundo da literatura a experiência nostálgica de uma obra conceitual."
"Nós somos loucos e só nós podemos ter cer…