Mais do que palavras podem dizer - Resenha

Título - Mais do que palavras podem dizer
Autora - Brigid Kemmerer
Tradução - Lígia Azevedo
Editora - Plataforma 21
Local - São Paulo, 2018
Páginas - 403
ISBN - 978-85-92783-86-0
Classificação - ⭐⭐⭐⭐⭐💖

Sinopse (orelha) - "Rev Fletcher enfrenta fantasmas do passado. Mas, com seus amorosos pais adotivos, aos poucos tudo parece estar cicatrizando. Até que, inesperadamente, ele recebe uma carta de seu pai biológico abusivo e o trauma da infância volta com toda força.
Emma Blue, expert em programação, passa o tempo livre aprimorando o jogo de videogame que construiu - o que é, ao mesmo tempo, uma fuga do casamento em ruínas de seus pais. Entretanto, quando surge um assediador no meio virtual, o medo neste ambiente torna-se real e ela precisará encontrar um maneira de combater o criminoso.
Quando Rev e Emma se encontram, estão soterrados pela própria escuridão. Embora seja difícil para ambos descrever em palavras o que estão passando, a conexão entre os dois é inevitável. Seus problemas podem até parecer distantes, mas Rev e Emma decidem ajudar um ao outro, não importa o que aconteça. Conforme as circunstâncias ficam mais perigosas, porém, a força dessa parceria será testada de maneiras que jamais imaginaram."


Espetacular... é a primeira palavra que vem a minha cabeça quando penso nesse livro. 

Sentei, comecei a leitura e não consegui parar até ler a última página. É sério! Li por 14 horas seguidas... é viciante! 

A história é extremamente envolvente desde as primeiras páginas. Todos os personagens, sem exceção, são desenvolvidos ao longo da história de uma tal maneira que conhecemos até suas almas. 

Amadurecimento. Abandono. Tortura. Bullying. Assédio. Abuso sexual. Adoção. Racismo. Misoginia. Perseguição virtual. Morte. São alguns dos temas tratados com maestria pela autora. É um livro que deveria ser lido por todos, principalmente por pais e adolescentes.

Rev, um garoto torturado pelo pai biológio até ser adotado aos 7 anos por Geoff e Kristin. Pais amorosos e bondosos que proporcionaram a Rev um lar confiável para crescer e se recuperar de todo seu trauma. 
Tudo vai bem, até que aos 18 anos, Rev recebe uma carta de seu pai biológico, tudo vira de cabeça para baixo. Sua instabilidade emocional piora quando precisa lidar com Matthew, um garoto "problemático" de 14 anos que seus pais acolheram em sua casa.

Emma, adolescente de 16 anos, vive sendo pressionada pela mãe para seguir carreira de médica e largar aquilo que ela mais gosta de fazer, programar jogos de computador. Incompreendida e "abandonada" pelos pais que só sabem discutir sobre o divórcio, Emma precisa lidar sozinha com os assédios quem vem sofrendo na internet por um usuário de seu próprio jogo.

No meio de toda bagunça, Rev e Emma se encontram inesperadamente. Os problemas aproximam os dois e a atração é inevitável. 

Cait, melhor amiga de Emma. Declan, melhor amigo de Rev. Ethan, "amigo" virtual de Emma.  Cada um com sua história e personalidade marcante, só fazem a história ficar mais interessante. E só pra ficar perfeito, também temos Texas, cachorra da Emma, dócil, carinhosa e peça-chave no romace dos protagonistas.

Uma história emocionante, uma mistura de sentimentos. Torci em cada página, vibrei, chorei e me apaixonei. 

A única coisa que quero agora é ler "Aos perdidos, com amor"!


Vou deixar alguns alguns quotes desse livro maravilhoso.

"Acho que os momentos quietos são os mais barulhentos. O silêncio fala alto, filho."

"Quando eu era criança e saía com Geoff, as pessoas sempre vinham me perguntar se eu estava bem (porque Geoff é negro). Meu pai, meu pai biológico, me torturava todos os dias, mas todo munda achava que ele era o melhor pai do mundo."

"... a internet dá uma voz alta demais a algumas pessoas, enquanto silencia outras, mas só ouvimos as que gritam. Temos que fazer perguntas se quisermos ouvir as que estão em silêncio."

"... mesmo que supostamente tenham sido inspiradas por Deus, ainda são interpretadas pelo homem, e homens cometem erros. Quando se olha para tudo com certa perspectiva, qualquer sistema de crenças parece meio maluco. Especialmente ao se considerar o que as pessoas fazem em nome da religião."

"Você passa tempo demais se preocupando com o que deve fazer. Mas a questão é: o que você quer fazer?"

"Tem que poder desenvolver um jogo de computador sem ser assediada. Tem que poder viver sem ter que enfrentar isso, independentemente do campo em que está."

"A revolução não é uma maçã que cai quando madura. Você tem que colhê-la."


 Beijos, um ótimo voo para todos e até a próxima!💖
 Ps.: Primeiro livro favoritado do ano!





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resumo - Prisioneiro B-3087

Resumo - Labirinto dos ossos

O mistério do Capiongo - Resenha