A Lei dos Sonhos - Resenha


Título - A Lei dos Sonhos
Autor - Peter Behrens
Tradução - Flávia Rössler
ISBN 978-85-01-08129-2
Editora - Record
Páginas - 499
Local - Rio de Janeiro, 2009
Classificação - ⭐⭐⭐

Sinopse (orelha) - "1846. A Grande Fome irlandesa atinge o auge de sua devastação. Para Fergus O'Brien, a mudança é menos uma escolha do que necessidade. Com apenas 15 anos, ele é obrigado a crescer depressa.
Filho de um fazendeiro do norte da Irlanda, Fergus perde a família e a casa e é obrigado a abandonar a terra onde passou a infância, deixando para trás tudo o que um dia amou. Assim começa uma viagem épica que o leva da costa oeste irlandesa às docas e bordéis de Liverpool e, finalmente, ao outro lado do mundo.
Durante sua pungente passagem da inocência à maturidade, Fergus encontra bandidos e escavadores de estradas de ferro, rapazes prostitutos e mocinhas ousadas, personagens que, em seu surpreendente frescor, parecem ter saído diretamente do coração de um tempo perdido. E conhece Molly, que lhe ensina os caminhos do mundo."

Esse romance dramático apresenta uma história triste e sofrida de um menino que viveu em uma época muito difícil.

A leitura é fácil e flui rapidamente. Apesar de previsível, o escritor consegue prender o leitor até o fim. Pelo menos comigo foi assim, pois Fergus, o protagonista, passa por cada "perrengue" que eu não conseguia parar de ler, sempre com aquela esperança que ele daria a volta por cima em algum momento.

O livro se passa em um momento trágico da história da Irlanda, conhecido como "A Grande Fome" ou "A Praga das Batatas". Foi quando um vírus destruiu todas as plantações de batatas da Irlanda e outras regiões da Europa e América, entre os anos 1845 até 1849. Como a grande maioria dos irlandeses se alimentavam exclusivamente de batatas, muitos morreram de fome. O auge da Grande Fome aconteceu de 1847 a 1849, onde quase 1 milhão de pessoas morreram  e mais de 1 milhão emigraram para a América do Norte. No fim dessa grande tragédia, a Irlanda teve sua população reduzida em aproximadamente 25%.


Além do terrível cenário da Praga das Batatas, os irlandeses também morriam de Tifo, uma doença epidêmica que se alastrava devido a falta de cuidados com a higiene.

Na Lei dos Sonhos, Carmichael era um fazendeiro dono das terras onde vivia Fergus e sua família. O fazendeiro conseguiu negociar a saída de quase todas as famílias de rendeiros de sua propriedade. A família de Fergus resistiu bravamente, mas enfraquecidos pela fome e debilitados pela febre (tifo), acabaram morrendo. Fergus, o único sobrevivente, teve sua casa consumida pelo fogo e foi expulso das terras de Carmichael.

Assim, foi obrigado a começar sua longa e árdua jornada. Em seu caminho encontrou amigos, colegas, amores, inimigos... conheceu histórias incríveis, participou de guerras, roubos e assassinatos! Presenciou a prostituição, o preconceito, e aprendeu uma nova profissão. Ao conhecer Molly - uma jovem esperta e sonhadora- Fergus despertou sua coragem e esperança em ser feliz.

O destino da maioria dos sonhadores da época era a América do Norte. Uma viagem longa e complicada pelos mares. Os navios de carga daquela época eram conhecidos como navios-caixão ou navios tumbeiros, porque muitos viajantes morriam no percurso. Behrens relata com detalhes a viagem de Fergus até o Canadá a bordo do Laramie, onde conheceu Ormsby, o senhor que fez a diferença em sua vida.

Classifiquei esse livro apenas com três estrelas devido a previsibilidade da história, e também porque as emoções do livro acabam presas em uma narrativa robotizada. Mesmo assim, recomendo a leitura. Pelo fato histórico vale a pena, pois é fácil viajar no tempo e conhecer um pouquinho sobre o que viveram os irlandeses naquela época trágica.

Ficaram interessados em ler esse livro ou já leram? Me contem nos comentários!

Um ótimo voo para todos... bjooos e até a próxima!    









Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resumo - Prisioneiro B-3087

Resumo - Labirinto dos ossos

O mistério do Capiongo - Resenha